Até Ser Dia....

Nasceu em Almada, a 22 de Setembro de 1976, chama-se Anabela Braz Pires. Anabela foi reconhecida nacional e internacionalmente em 1993, aquando da sua participação no Festival Eurovisão da Canção, mas desde a infância que manifestava a sua paixão pela música e pela interpretação de canções, mostrando o inegável dom e vocação.
Aos 8 anos, foi-lhe dada a oportunidade, por parte de um amigo de família, de actuar em espectáculos de Natal e no Jardim Zoológico. Iniciava-se, assim, a caminhada artística de Anabela, o primeiro degrau da escada do sucesso.
Ao longo do seu percurso, Anabela participou em várias festas e festivais tendo alcançado, em muitos deles, o primeiro lugar. De norte a sul do país, a voz da menina Anabela começava a encantar, a inebriar e a render o sentido auditivo daquelas que a escutavam.

Em 1989, participou na Grande Noite do Fado, por iniciativa de sua mãe que foi quem a inscreveu. Anabela homenageou o seu avô, fadista amador, ao interpretar um fado de Alberto Marceneiro, com letra da autoria de Ilda Ventura e … venceu em pleno Coliseu!

Ainda neste ano, representou Portugal no Festival da UNICEF, Danny Kaye Award, realizado na Holanda, com a canção “Nova Mensagem de Paz e Amor”. Ganhou o prémio de Melhor Interpretação, alcançando um honroso segundo lugar na classificação geral.

Em 1991, conquistou o Prémio Revelação no Festival SOPOT, na Polónia, com “Brother” e, no
ano seguinte, arrecadou o segundo lugar no Festival CESME, na Turquia.

Os anos de 1991 e 1992 foram, ainda, marcados pela gravação dos seus primeiros discos “Anabela” (Ovação, 1991 e “Encanto” (Discossete, 1992).
Foi a 11 de Março de 1993, com a musica “A Cidade (Até ser Dia) ”, que venceu então em 1993, com 16 anos, o XXX Festival RTP da Canção no Palco do Teatro S. Luiz, o qual a tornou conhecida do grande público.
Representou o nosso País no Festival da Eurovisão, na cidade Irlandesa de Mill Street a 15 de Maio de 1993. Neste evento, a Anabela reiterou a confiança que todos os portugueses nela depositavam pois, com uma enorme presença em palco e com o poder da sua voz, trouxe para o nosso país o honroso 10º lugar, uma das melhores classificações alcançadas até aos nossos dias.
Neste ano, lançou o álbum “A Cidade” e, três anos mais tarde (1996), editou o “Primeiras Águas”, disco que marcou a viragem do estilo musical interpretado por esta cantora. Nele, trabalhou com nomes sonantes como Rui Veloso, Fernando Girão, Clara Pinto Correia, Tim, José Salgueiro, Fernando Nunes e Mário Barrela Delgado.

Também em 1996, foi convidada por Filipe La Féria, a integrar o elenco de “Jasmim, ou Sonho de Cinema" e participou em dois programas de “Todos ao Palco”. Surgiu assim possibilidade de fazer teatro ao mesmo tempo que cantava.

No ano de 1999, fez parte integrante do musical “Amália”, na estreia do musical no Funchal, e lançou o álbum “Origens”.

Em 2000, foi convidada pelo músico Carlos Nunez a participar no álbum “Mayo Longo”, no qual gravou 4 faixas. Participou na tornee promocional por todo o mundo, durante dois anos e meio.
No plano pessoal, Anabela conseguiu sempre conciliar os estudos com a música e o teatro, completando a sua licenciatura em Psicologia, facto que lhe conferiu maior formação, sensibilidade e aptências.

De regresso a Portugal, em 2002, voltou a trabalhar com Filipe La Feria nos musicais “Minha Linda Senhora - My Fair Lady”, interpretando a personagem principal, Eliza Doolittle.
Em 2005 lançou o disco "Aether", com a colaboração de Carlos Maria Trindade, onde interpreta poemas de Florbela Espanca, Fernando Pessoa, Manuel Alegre e José Carlos Ary dos Santos. Participa também este ano no musical "Canção de Lisboa" de Filipe da Feria.

De 2006 a 2008 divide com Lúcia Moniz e mais tarde com Wanda Stuart, a protagonista Maria, em “Música no Coração”. Primeiro no Teatro Politeama e mais tarde também no Rivoli.Ainda em 2006 foi convidada pelo tenor Carlos Guilherme para lançar o álbum "Encontro" com a recriação de grandes sucessos da música portuguesa.

Mal terminou a exibição de “Música no Coração” no Rivoli, Anabela integrou “Jesus Cristo Super Star” no Politeama dando vida a Maria Madalena.Foi com esta personagem bastante diferente da que o público estava habituado, que Anabela e todo o elenco apresentaram o musical em Portimão durante o mês de Agosto de 2008.

Desde de 28 Novembro de 2008, encontra-se a fazer o “West Side Story – Amor Sem Barreiras”, no Teatro Politeama, interpretando a personagem de Anita.

3 comentários:

Cristina Leites disse...

Nockinhas, hoje resolvi entrar no blog, e fiquei fascinada com o que tenho vindo a ler. Estás de parabéns, não só porque criaste um blog acessível a todos os visitantes, mas também pelo teu empenho, organização, e sobretudo pelo carinho com que o criaste. Segue em frente. Um beijinho da tua amiga Cristina

Anónimo disse...

Continua a fazer este excelente trabalho!

Enviar um comentário